56ª EDIÇÃO DA FACIM 2021

Decorreu, entre os dias 30 de Agosto e 05 de Setembro de 2021, a 56ª Edição da Feira Internacional de Maputo (FACIM), no distrito de Marracuene (Ricatla), sob o lema “Industrialização, Inovação e Diversificação da Economia Nacional”.

A Feira decorreu sob algumas restrições decorrentes do protocolo sanitário de prevenção da pandemia da COVID-19, o que influenciou na redução do número de expositores, bem como de visitantes, quando comparado com os anos anteriores.

A abertura foi presidida por Sua Excelência Filipe Jacinto Nyusi, Presidente da República de Moçambique, no dia 30 de Agosto de 2021, que na ocasião, visitou os pavilhões e orientou as Cerimónias de Inauguração e do Dia do Exportador.

Durante o discurso de abertura o Chefe do Estado referiu que deve se promover de forma sustentada a internacionalização das empresas moçambicanas, apoiando-as na capacidade de competir, criando marcas diferenciadoras e com qualidade que seja imbatível no exterior.

De acordo com as suas palavras, espera-se que o Programa Nacional de Industrialização eleve o patamar das vantagens, através do acréscimo do valor dos recursos nacionais, significando vender com qualidade, com desejo de ocupar espaço na SADC ou em outros mercados fora da região Austral do continente.

Outrossim, referiu-se à necessidade de se fazer um estudo para tornar viável e sustentável o espaço da FACIM em Ricatla, que apresenta amplas oportunidades, como veículo de desenvolvimento. Igualmente, vincou a importância de haver mais sinergias a nível dos gestores da FACIM, dos empresários da província e do distrito de Marracuene, com vista a continuidade do intercâmbio pós FACIM.

A terminar, o Presidente apelou: i) a colaboração para reforço da parceria do sector empresarial público e privado, para o seu engajamento no desenvolvimento das suas actividades; ii) esforço colectivo no combate à corrupção, que mina os negócios de Moçambique; iii) colaboração na colecção de taxas para potenciar o desenvolvimento do país; (iv) reforço do diálogo público e privado, para facilitar o ambiente de negócios; (v) promoção dos investimentos internos e internacionais.

Com a finalidade de divulgar a sua imagem e os serviços prestados, bem como identificar oportunidades de parcerias e sinergias para negócios, o Instituto de Cereais de Moçambique, IP participou na 56ª Edição da FACIM de forma híbrida, sendo presencial na sede e virtual nas delegações provinciais.

Na sede, a instituição fez se representar no Pavilhão Arena, destinado ao Ministério da Indústria e Comércio e suas instituições tuteladas, onde expôs, num “stand” conjunto com a Bolsa de Mercadorias de Moçambique, a sua informação e material promocional, constituídas por perfil institucional e principais realizações coladas em papel de vinil e diverso material sobre os serviços estratégicos (Plano Estratégico, Estatuto Orgânico, Folhetos sobre o ICM, IP e sobre a LCCA, Capulanas, Canetas, Blocos de Notas, Bandeirolas de Moçambique do ICM, IP, Calendários de Bolso, Autocolantes, Sacolas), colocados sobre a mesa e porta catálogos.

A cerimônia de encerramento da FACIM foi dirigida pelo Primeiro-ministro, Carlos Agostinho do Rosário, que desafiou, no seu discurso, ao sector empresarial, em particular as Micro, Pequenas e Médias Empresas a continuarem a participar de forma activa no processo da industrialização do nosso país e, dessa forma, contribuir para a geração de mais postos de trabalho e renda de modo a melhorarmos continuamente as condições de vida da população. Durante a realização da FACIM, foram premiados os melhores exportadores e investidores do ano 2020 e ainda os melhores expositores da feira. De referir que a 56a Edição da FACIM 2021 foi marcada por iniciativas inovadoras decorrente da pandemia da COVID-19, como a sua realização no modelo híbrido (formato presencial e virtual). Dentre várias iniciativas inovadoras da presente edição da FACIM, destaca-se igualmente a realização de uma réplica da FACIM, ao nível das províncias e a sua transmissão em directo através da plataforma virtual, o que contribuiu para uma ampla exposição das potencialidades económicas de cada província, bem como, o seu potencial exportável. Destaca-se ainda como aspecto inovador, a participação do Sector Empresarial do Estado, participadas pelo Instituto de Gestão das Destaca-se ainda como aspecto inovador, a participação do Sector Empresarial do Estado, participadas pelo Instituto de Gestão das participações do Estado, IGEPE, num pavilhão personalizado onde foram expostos os serviços e projectos estruturantes de cada empresa.

No que concerne ao número de expositores, teve a participação de 569 nacionais, contra 1550 projectados. Quanto aos expositores estrangeiros, participaram um total de 44, sendo 19 participações em formato virtual, contra 24 projectados e 25 em formato presencial. Em relação aos países participantes da feira, as estatísticas apontam para um total de treze, sendo quatro em formato virtual (Brasil, Coreia do Sul, Índia e Zimbabwe) e nove presencia (África do Sul, Tanzânia, Portugal, Espanha, França, Itália, Grécia, Finlândia, Reino Unido), numa projecção de 24 países esperados. A relação de visitantes da FACIM 2021 aponta para 22.314 participantes virtuais, numa projecção de 70.000 e 5.400 presenciais, contra 5.250 projectados. O relatório aponta ainda para um total de 622 bolsas de contacto realizadas nos diversos domínios, dos quais resultaram em 24 intenções de parcerias por firmar, incluindo acções de capacitação técnica aos profissionais de diversos sectores de actividade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.