57ª EDIÇÃO DA FACIM 2022

Decorreu, entre os dias 29 de Agosto e 04 de Setembro de 2022, a 57ª Edição da Feira Internacional de Maputo (FACIM), no distrito de Marracuene (Ricatla), sob o lema “Industrialização, Inovação e Diversificação da Economia Nacional”.

A abertura foi presidida por Sua Excelência Filipe Jacinto Nyusi, Presidente da República de Moçambique, no dia 29 de Agosto de 2022, que na ocasião, visitou os pavilhões e orientou as Cerimónias de Inauguração e do Dia do Exportador.

Durante o discurso de abertura o Chefe do Estado referiu que a FACIM é como o espelho da diversidade económica e cultural de Moçambique onde convergem as potencialidades de Moçambique e de outros países, afirmou que a presença dos expositores nacionais e internacionais é um sinal de confiança no País. ʺA vossa presença cimenta a credibilidade da FACIM, como uma verdadeira feira orientada para os empresários na conquista de novos mercados e a geração de novos investimentos e constitui um sinal inequívoco da vontade perene de aprofundar as relações económicas entre Moçambique e os países que aqui representamʺ. Disse o Presidente da República.

O PR afirmou que os objectivos comercias da feira se interceptam na intenção de um processo de desenvolvimento sustentável, onde augura que a presente edição, que ocorre num formato presencial, sirva para o alcance de diversos objectivos, nomeadamente, sob o lema Industrialização: Inovação e Diversificação da Economia Nacional, sirva para o alcance de diversos objectivos, como a exploração de oportunidades para o estabelecimento de unidades industriais na construção de cadeias de valor que sigam a rota dos nossos recursos bem como a possibilidade dessas cadeias no contexto regional da África Austral e do continente Africano, diversificando o risco comercial com investimentos na agricultura, pecuária, turismo, serviços de logística, pescas, energias renováveis, em contraponto a uma dependência potencialmente excessiva dos sectores extractivos de recursos minerais e hidrocarbonetos.  

O estadista moçambicano fez apelos para que empresários nacionais explorem programas que contemplam debates e divulgação de oportunidades e diversos instrumentos de comércio e investimentos, sendo de destacar o acesso preferencial aos seguintes mercados: Japão, China, Estados Unidos da América (AGOA), União Europeia, SADC, África, entre outros; o potencial económico por explorar em diversas províncias do país, servindo como oportunidade para o mapeamento de cadeias de valor, no quadro dos corredores de desenvolvimento e zonas económicas especiais, onde se destacam os programas âncoras SUSTENTA, PRONAI, PRODAP e o Projecto de Agro-Processamento Industrial da Zona Económica Integrada do Corredor Pemba-Lichinga, respectivamente, na agricultura, indústria e pescas; a lei de investimentos, incentivos fiscais e o pacote de Medidas de Estímulo para Aceleração Económica, recentemente anunciadas, ʺe recomendo o conhecimento de todos para trazer mais vantagens para o sector económicoʺ. Disse o PR e assegurou, “Tudo isso precisa de ser legislado, e nós estamos a tratar disso com a máxima urgência”.

A 57ª Edição da FACIM que decorre sob o lema “Industrialização: Inovação e Diversificação da Economia Nacional”, tem como objectivo expor as potencialidades de produção e exportação do país e promover oportunidades de negócios e de investimento nos diversos segmentos nacional e estrangeiro.

Durante a visita aos pavilhões onde participam mais de 2.000 expositores, incluindo 350 de 22 países estrangeiros, o Chefe de Estado moçambicano, fez elogios ao investimento na qualidade dos produtos, serviços bem como embalagens, sobretudo aos empresários nacionais para os quais significa a superação de enormes desafios.  

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.